Quer saber mais?

2.png

Investidor, filantropo, ativista social, escritor e 56a pessoa mais rica do mundo, segundo a Forbes. Esse homem é definitivamente uma lenda. Sim, você sabe de quem estamos falando. Todos esses títulos foram dados ao investidor americano George Soros, ou, em melhores palavras, são mérito desse ícone ao longo de seus 89 anos de vida. Chame-o como quiser: o essencial não muda — ele é uma pessoa discutida por muitos há décadas. Especialmente depois daquela noite que ele faturou um bilhão. Sim, é isso mesmo, dá até para perder a conta de quantos zeros tem esse valor.

Como Soros conseguiu isso? O que mais ele encarou e conquistou? E por que pessoas no mundo inteiro, em geral, e na comunidade FX, em particular, seguem admirando esse homem? Hoje nós contamos a história de um trader mundialmente famoso, e provavelmente o mais generoso de todos os tempos.

Garoto brilhante, vida sombria

2.png

A história de Soros não começa no tipo “de anônimo a herói”. Nascido em 1930 com o nome György Schwartz, ele cresceu em uma família judaica de classe média alta que morava em Budapeste e certamente daria um futuro próspero para seu ambicioso filho. Entretanto, levando em conta a época e suas origens, um certo “e se” interferiu. E a guerra provocou uma correção na trajetória da vida de György.

O outro sobrenome, documentos falsos, os esconderijos e a separação da família para evitar a perseguição antissemita, o constante medo de ser pego e morto… Mesmo nessas condições horríveis, os parentes de Soros conseguiram ajudar quem passava pela mesma situação. Felizmente, a família sobreviveu e, aos 17 anos, Soros emigrou para a Inglaterra com o objetivo de estudar e tornar-se um filósofo.

Dias de salada londrina — doce e amarga

3.png

Adivinhe em qual universidade londrina George Soros entrou? Alguns podem pensar em uma universidade de segundo escalão, o pouco com o que aquele garoto judeu vítima de enormes privações durante a guerra podia arcar. Outros chegam a pensar: como que ele sequer conseguiu estudar em vez de ir trabalhar para garantir seu sustento? E por que não as duas coisas? Ele trabalhava em meio turno com garçom e porteiro ferroviário para sustentar seus estudos. E a universidade na qual ele ingressou foi a London School of Economics, ou LSE (Escola de Economia de Londres, em tradução livre).

Nada mal, certo? Morando com seu tio, Soros estudou em uma das mais prestigiadas universidades da Inglaterra, orientado pelo famoso filósofo Karl Popper. Enquanto devorava as ideias do grande professor, altamente convergentes com seus próprios pensamentos, Soros acabou percebendo que seu interesse maior era a economia. Após dois anos de experiência no banco mercantil Singer & Friedlander e um bacharelado e um mestrado concluídos com sucesso na LSE, o formando de 26 anos se mudou para Nova York. E foi lá que começou a empolgante aventura.

Homem inglês… digo, judeu, em Nova York

4.png

Nos EUA, Soros começou como trader de arbitragem e se especializou nas ações europeias que estavam ganhando popularidade na época. Mais adiante, trabalhou em várias firmas de Wall Street como trader e analista, não desistindo de seus estudos de filosofia e desenvolvendo ideias baseadas na ideologia de Popper. Aos 37 anos, ele gerenciou seu primeiro fundo offshore, o First Eagle Fund, e experimentou várias estratégias de trading. Esses experimentos tiveram êxito, e o segundo fundo hedge — o Double Eagle — foi criado dois anos depois. Em 1973, ele tinha US$12 milhões em dinheiro de investidores. Mas Soros e seu assistente Jim Rogers optaram por sair e estabeleceram o Soros Fund, posteriormente rebatizado de Quantum Fund. Em nove anos, esse fundo chegou a US$381 milhões.

Além de sua atividade no trading, Soros passou a se envolver com atividades filantrópicas. Ele não tinha aquela ganância de homem rico que geralmente se espera de alguém com tanto sucesso — boa parte de sua fortuna tem sido consistentemente investida em ajudar outras pessoas. Logo, com 54 anos, ele estabeleceu a Open Society Foundations para financiar iniciativas globais relacionadas ao desenvolvimento da educação, saúde pública, empreendedorismo e apoio à liberdade de expressão, igualdade e justiça no mundo inteiro. Que boa lição tirada ao sobreviver a uma guerra e fugir da perseguição, não é mesmo?

O dia de glória

5.png

Para financiar outras pessoas com volumes tão grandes deve-se ter os pés no chão. Bem, Soros teve muito sucesso nisso. Seus fundos de investimentos geram de forma bem estável uma enorme porcentagem de retorno médio anual (chegando certa vez a 122%!). Mas houve um dia especialmente rentável para Soros. Em 1992, ele jogou com a crise cambial do Reino Unido apostando um valor considerável contra a libra esterlina e lucrou um bilhão em uma noite. Naquele momento, além de dinheiro, ele ganhou o título de homem que quebrou o Banco da Inglaterra, o respeito de muitos economistas e líderes políticos — inclusive chefes de Estado — e até o poder de afetar os acontecimentos econômicos e políticos na arena mundial. Essa conquista não foi derrubada nem mesmo por grandes fracassos, tais como o prejuízo com uma aposta errada no valor do iene japonês em 1994 ou uma multa por insider trading (informação privilegiada) ao operar ações do banco francês Société Générale.

A estrela que segue brilhando

6.png

Ao experimentar novas estratégias e especular com várias movimentações do mercado e a crise de 2008, Soros faturou um patrimônio total de US$8,3 bilhões, segundo dados de fevereiro de 2020. Nos cerca de 40 anos entre 1969 e 2009, os rendimentos compostos de seus investimentos chegam a 26,3%; maiores que os retornos de Warren Buffett no mesmo período (21,4%).

Ele permanece como diretor da Soros Fund Management, LLC, que voltou a ser uma empresa familiar após devolver o dinheiro dos investidores externos. Ademais, Soros segue doando dinheiro para a Open Society Foundations, que lança programas em mais de 100 países, com 37 escritórios regionais. Ele continua a par dos principais acontecimentos sociais, econômicos e políticos, expressando seus posicionamentos e opiniões em entrevistas e tuítes (sim, aos 89 anos). Seus inúmeros livros ainda são vendidos mundo afora, bem como suas biografias.

Não temos tanto espaço para descrever a vida de Soros, mas esperamos que nosso modesto artigo lhe permita entender por que essa trajetória é tão notável e didática. É sempre possível conquistar o sucesso no trading, mesmo quando todas as condições parecem desfavoráveis.

× Precisa de ajuda?