Quer saber mais?

Lembraremos o mês de março de 2020 como uma época extremamente tensa e assustadora que começou com ataques de míssil e terminou com a pandemia de coronavírus, atingindo em cheio os mercados. Vamos ver como ignorar o pânico e ganhar dinheiro enquanto todos — inclusive os investidores — estão tão assustados quanto criança em tempestade.

(1)03.02.20.jpg

Warren Buffet uma vez disse: “tenha medo quando os outros tiverem ganância, tenha ganância quando os outros tiverem medo.” Agora, enquanto o mundo inteiro discute a nova pandemia de coronavírus e sai para comprar máscaras, é a hora certa de lembrar qual deve ser o significado disso para os traders.

Não somos médicos para indicar o que as pessoas devem fazer com a saúde, mas podemos avaliar o impacto do pânico nos mercados e entender o que os investidores devem fazer.

Hackeando seus instintos básicos

Exemplo: quando as coisas ficam agitadas, traders assustados correm para vender, gerando o cenário de sell-off, o “dinheiro forte” entra no mercado e os preços são jogados para cima. Investidores que mantêm o comportamento racional diante de tais ocasiões tendem a conseguir lucros generosos; outros perdem dinheiro e neurônios.

Não precisamos ir muito longe para achar um exemplo disso.

As notícias do Brexit criaram um enorme medo no mercado. Você talvez pensou que isso só seria importante para a economia britânica, mas, aparentemente, o mercado dos EUA também ficou agitado. O S&P500 teve recorde de perda diária, em meses. Um dos maiores estrategistas de Wall Street, por sua vez, relatou que centenas de bilhões de dólares em ações entrariam em liquidação forçada nos dias seguintes. A imprensa financeira entrou em pânico com o mercado caindo mais de 5% em dois dias.

Esse medo gerou um sinal de venda para investidores assustados e um sinal de compra para investidores mais inteligentes porque, dois dias depois, os preços ficaram significativamente mais altos.

Quando você aprende a ignorar a voz interna da sua cabeça que diz para reagir AGORA e proteger o seu dinheiro, você fica do lado dos vencedores.

03.02.20.jpg

Entenda a lógica do medo

Pesquisas comportamentais provaram que as pessoas superestimam os riscos quando se trata de algo que gera medo.

Exemplo: pesquisas feitas durante o surto da SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em 2002 mostraram que 23% das pessoas relataram medo de serem infectadas pela doença. No fim das contas, cerca de 8.500 pessoas foram afetadas e menos de 100 delas morreram. Coloque isso em contraste com os 35,5 milhões de casos e 34.200 mortes durante a temporada de gripe de 2018–2019.

Isso significa que embora o surto de SARS tenha atingido um número relativamente pequeno de pessoas, ele conseguiu influenciar intensamente a economia global interligada. Quando surgiu a pandemia de coronavírus, ela colocou em risco o transporte aéreo, o comércio global (especialmente a ALIBABA), o turismo e várias outras coisas. Medos do futuro se concentraram na queda do PIB chinês que pudesse eventualmente afetar o mundo inteiro.

Nessa altura do campeonato, um trader inteligente levaria três coisas em conta: as estatísticas de fato da pandemia, lições anteriores aprendidas com a história e as próximas notícias. Se o vírus se espalhar e causar mais mortes, a aversão a riscos continuará a dominar o mercado. Se uma vacina for desenvolvida rapidamente, os riscos diminuirão e o mercado voltará ao normal, pois o mercado não se contamina com vírus — ele se contamina com pânico.

Lembre-se dos ciclos

O mercado tende a se comportar de forma cíclica, e (quase) tudo já aconteceu antes. Passamos pela Grande Depressão, a crise dos anos 70 e a Segunda-feira Negra de 1987. Passamos por doenças letais, ataques de míssil, desastres geopolíticos e atos de terrorismo. Passamos por muita coisa e devemos olhar para trás e ver o que a história pode nos ensinar. O cenário muda, a humanidade não.

O pânico cria ótimas oportunidades de trading para traders que sabem a hora de comprar e a hora de vender. E esse mesmo comportamento já aconteceu várias vezes, desde o início dos tempos, e provavelmente continuará por muitos anos. Apenas lembre-se que o perigo sempre parece maior do que realmente é aos olhos de quem tem medo.

Não tenha medo — opere em cima do medo.